O cerne de toda estratégia do meu Projeto Previdenciário são os dividendos. Enquanto os aportes são as sementes, os dividendos é a tão esperada colheita representada pela Independência Financeira. O meu lema é "plantar agora, pra colher no futuro".

O investimento voltado para o longo prazo, com foco em dividendos é tedioso, pois não envolve tanta emoção quanto outras modalidades onde você compra e vende ações o tempo todo. O principal é aportar todo mês, receber e reinvestir os dividendos junto com o aporte, sem acompanhar o mercado de forma tão intensa.

No início, os dividendos são tímidos, na casa dos centavos. Porém, à medida que você vai acumulando ações, reinvestindo os dividendos, acontece o fenômeno da "bola de neve" onde os dividendos se tornam significativos ao ponto de igualar e ultrapassar seu valor de aporte, nesse momento seu caminho rumo à Independência Financeira é, de fato, pavimentado. A partir disso, ocorre um efeito multiplicador, similar aos juros compostos na Renda Fixa, onde à cada ano sua Renda Passiva vai aumentando progressivamente, até o ponto onde os dividendos são capazes de pagar todas as suas contas e padrão de vida, daí você se torna independente financeiramente.

Nesse sentido, o meu foco é acompanhar a evolução anual da renda passiva. Como estou no início, ainda não estabeleci metas de dividendos, contudo a partir do momento que eu puder comparar ano a ano, pretendo fixar objetivos realistas e palpáveis, como por exemplo, meta 1 - pagar a conta de internet com os dividendos e assim por diante.

Receber dividendos todo mês é importante, assim como ver seu patrimônio crescendo, pois afeta de modo positivo o nosso psicológico. Porém, reitero novamente, o meu foco é na Renda Passiva anual, onde dividindo a mesma pelos meses do ano, terei uma Renda Média Mensal. A partir disso, basta definir seu custo de vida anual e perseguir um valor igual ou até mesmo superior a Renda Passiva Anual, de modo a alcançar uma Tranquilidade Financeira.